RIO DE JANEIRO

No tão badalado Brasil, não podia deixar de ir ao Rio de Janeiro, logicamente. Das poucas fotografias que tenho, ainda tenho algumas para me relembrar como fui feliz aqui neste bocadinho do Brasil.

No dia em que chegámos ao Rio, depois de uma viagem fascinante de camioneta de São Paulo até ao Rio, o tempo não pareceu estar a nosso favor e fazer praia no paredão de Ipanema não parecia o programa ideal.
Nesta estadia optámos por ficar em Hostel e o que relato foi a nossa experiência para que possam usufruir dela.

Em primeiro lugar, Hostel e quartos de 6 camas é para esquecer. Sim nós achámos que não ia haver problema e que até podia ser giro, mas não foi. Não é. Não e não. A menos que vão 6 amigos ou que sejam as vossas primeiras viagens dos 20 anos e aí sim, é perfeito!
O Hostel em que ficamos tinha saído uns anos antes numa reportagem da Vogue e até tinha boas reviews mas por azar a gerência tinha mudado uns meses antes e apanhámos aquilo, vamos dizer, mauzinho. Após pedir para sairmos do quarto de 6 camas, deram-nos um quarto de casal bastante giro e com vista para o Cristo Rei. Mas como tudo tinha que ter um “senão” o ar condicionado e o chuveiro não funcionavam. Ora para além do calor abafado dentro do quarto, sempre que queríamos tomar banho tínhamos de descer, com todo o equipamento, para o piso de baixo para tomar banho nos banheiros conjuntos. Escada acima, escada abaixo confesso que no final ainda nos rimos bastante. Principalmente quando fomos tomar banho ao quarto do casal ao lado que tinham deixado a porta aberta pois iam fazer check out… Mas afinal esse também não tinha pressão e lá fui eu, molhada e de toalha enrolada, escada abaixo para poder terminar o meu banho.
Ora, ora. Estávamos no Rio. O que interessava isso? Tínhamos muito ainda para descobrir!

Antes de começar aconselho vivamente o site Riotour pois tem imensas dicas de o que fazer, onde comer e ficar por zona no Rio. Vale mesmo a pena espreitar.

Parque Lage

No nosso primeiro passeio a pé pelo Rio, como que sem querer, entrámos num jardim onde estava situado um palacete construído em torno de uma piscina com mármores, azulejos e ladrilhos que nos transportavam para aquelas histórias de princesas romanas. Como se não bastasse víamos, como que a sair das nuvens, o Cristo Rei. Será uma daquelas imagens que trarei comigo do Brasil, sem dúvida.
Num local sossegado e muito romântico existia também um restaurante voltado para o pátio interno, com mesas viradas para a piscina e almofadões onde podemos descontrair. Tomar o pequeno almoço aqui para se começar bem o dia e fazer um piquenique depois da visita ao jardim ficou na minha cabeça para uma próxima vez.

Jardim Botânico

Aproveitando a proximidade, decidimos continuar a explorar os parques e seguir para o Jardim Botânico. Para além de ser um dos sítios mais verdes do Rio, é também um dos mais importantes dado que é dos jardins com mais espécies do mundo. Como fomos cedo conseguimos aproveitar tudo e toda aquela paz do amanhecer, as espécies diferentes maravilhosas e os animaizinhos que por ali habitam.

La Byciclette– Como o jardim é muito grande, decidimos almoçar por ali e foi uma excelente escolha. Este restaurante para além de toda a sua decoração bem mimosa tinha uma ementa a condizer com os seus pãezinhos artesanais. Optei por uma salada maravilhosa (Saint Martin) que vem acompanhada sempre dos seus pãezinhos [Convém referir que nesta altura, apesar de ter cuidado com a alimentação ainda desconhecia as minhas reais intolerâncias e gostava de experimentar tudo nestas viagens!]

Calçadão de Copacabana/ Ipanema e Leblon

Quem se lembra daquele calçadão onde apareciam os atores a correr, a namorar, a descansar? Aquela imagem que entrava nas nossas casas pela televisão como se de perfeição se tratasse? Quem nunca desejou ter aquele corpo ou beber aquela água de coco ou dar aquele beijo em Copacabana? Pois bem… É mesmo assim e andar por ali transporta-nos para essas memórias das telenovelas da Globo. Aqui vende-se imensa água de coco, e não é de estranhar andarmos a passear com um coco maravilhoso na mão. Obviamente tive que provar e foi também aqui que comi Açai pela primeira vez. Fiquei fã.

Existem imensos restaurantes, comida de rua e bares ao longo deste calçadão, por isso é escolher um, sentarem-se e aproveitarem!

Lelbon é um bairo que está bastante próximo e aqui dá para fazer caminhada na praia de Leblon ou conhecer o miradouro de leblon.

Aqui decidimos ir lanchar à Confeitaria Colombo. Depois de ter comprado várias Melissas que ainda hoje uso com muito prazer, soube bem entrar num sítio que me fez lembrar um pouco de casa, principalmente dado eu estar há tanto tempo longe e cheia de saudades do meu Portugal.

Tomar a bica e comer pastel de nata? Pois está claro!

No coração de Ipanema e para aproveitar o festejo do aniversário da minha querida Ritinha optámos por ir a um restaurante Rádio Bar chamado Esquina Complex 111. Confesso que gostamos tanto que voltamos a repetir. Um ambiente super descontraído, boa comida,música e muito animado. Por ser central é de fácil acesso e dali podemos ir explorar a noite Brasileira. Seja como for, acreditem que se ficarem por ali até fechar também não se vão arrepender.

Lagoa Rodrigo de Freitas

No Rio adorei andar. Andar, andar, andar. As paisagens são fantásticas e há sempre sítios maravilhosos para conhecer como a Lagoa Rodrigo Freitas. Este foi o nosso pit stop e sinceramente eu já nem queria sair mais dali. Choupe, Caipirinhas, Biscoito GLOBO, música e uma vista de chorar? Deixem-me ficar, por favor.
Foi aqui mesmo que provei o famoso biscoito de polvilho GLOBO. O sítio? Palaphita! E as imagens falam por si…

Bairro Santa Teresa

Vale a pena subir até Santa Teresa de “bondxinho”, pelos arcos da Lapa. Este bairro costumava ter imensas mansões e onde habitavam as famílias mais ricas do Rio. Hoje tornou-se um bairro artístico e boémio onde podemos conhecer a cultura carioca. Tem imensos espaços secretos e várias lojinhas e cafés escondidos e muita, muita arte por todo o lado. Característico também pelos seus “viewpoints”, confesso que a atmosfera aqui é inexplicável.

O parque das ruínas estava fechado naquele dia, infelizmente, mas sei que para quem se quer divertir com a família, relaxar ou namorar, o lugar é perfeito, já que o Centro Cultural do parque conta com programação gratuita e intensa como exposições, teatros infantis, apresentações de circos e música ao vivo, para não falar das vistas incríveis sobre o centro e a Baía de Guanabara.

Lapa

Aqui existe a melhor noite do Rio e é aqui que transpiramos com o verdadeiro samba. Este local é caracterizado por ter imensos bares de samba onde podemos provar as caipirinhas e dançar a noite toda. Para comer aconselho a comida de rua pois tapioca e churrasco existe a cada virar de esquina.

E uma vez na Lapa e no Rio, jamais poderia deixar passar a entrada e jantar no Rio Scenarium.

Este sítio foi dos mais espectaculares onde entrei, sem dúvida. O espaço é totalmente original juntando a gastronomia com a música e uma agenda cultural bastante vasta. Aqui também esperei numa fila bem grande, ainda por cima em baixo de chuva mas valeu tudo a pena. Ao entrar o que sobressai são as diferentes zonas e andares do restaurante, cheias de pormenores e arte. Aqui comemos e dançamos muito ao som das várias bandas musicais que estavam presentes naquela noite.

Escadaria Selarón

Situado entre o Bairro de Santa Teresa e a Lapa vislumbramos 215 degraus marcados pela beleza e desgraça de Selarón. Foram criadas como um tributo ao povo brasileiro e foi aqui também que Selarón foi encontrado morto em 2013. Bizarro não? Mas a verdade é que estas escadas transmitem muito bem a cor e a dinâmica do Brasil e até nos esquecemos da tragédia que ali aconteceu. São dos pontos mais atractivos do rio e aconselho a estarem atentos a cada azulejo e à sua história.


Cristo Redentor e Pão de Açúcar

Pois.. Aqui não vos vou dizer que fui lá porque não fui. Aquelas filas intermináveis e horas de espera confesso que não eram para mim. Principalmente porque existe na cidade sítios igualmente maravilhosos e de onde podemos ter imagens semelhantes à que veríamos ( ou não) depois de tanto tempo de espera e fotografias com 3284763525 pessoas na mesma fotografia que não conhecemos de lado nenhum. Por isso optamos por ir ao Monte Chinês, onde via o Cristo Redentor lá em baixo e conseguia ver igualmente o Pão de Açúcar. Sinceramente? Não me arrependo nada de os ter visto aqui.

Este dia foi bastante cheio e terminamos a visitar várias feiras onde acabei por provar a famosa maçaroca de milho. Confesso, não gostei. Não sei porque via tanta gente a andar na rua e a comer aquela iguaria como se fosse a melhor do mundo. Não me soube a grande coisa… Mas ficou a experiência!

 As minhas dicas para Hostel ( viajar sozinho, em casal ou com amigos)

WOLO Hostel – boa localização e um espaço primado pelo requinte. Perto da praia e perto da zona com bares, torna este Hostel o ideal.

Babilonia Rio Hostel – Sem dúvida!!! Daqueles sítios que nos fazem querer voltar ao Rio com uma vista incrível e um pequeno almoço maravilhoso.

Ipanema Beach House – Com piscina e próximo da Ipanema,num ambiente descontraído e super bem decorado.

 
As minhas dicas para Hotel ( em família)

Sheraton Grand Rio Hotel & Resort 4* – Sim é caro. Mas para viajar com família é um descanso pois tem imensas opções para os míudos! Tem piscina, vista, boa comida e serviço de qualidade.

Hotel Santa Teresa Rio – Caro, eu sei, mas surpreendente em cada esquina. Cada detalhe pensado ao pormenor,acaba por ser um Hotel pequeno cheio de requinte, localizado em Santa Teresa.

PortoBay Rio Internacional Hotel 4* – Bom restaurante no topo do Hotel, piscina e bom ambiente.

Grand Hyatt – Nunca nos desiludem, certo?

 

BÚZIOS

Aqui eu ficava. E ficava até me cansar, se isso fosse possível. Que sitio maravilhoso e perfeito para relaxarmos da azáfama das grandes cidades como o Rio e São Paulo. É uma aldeia de pescadores bastante pacata mas com uma forte vertente gastronómica e um turismo de charme, deslumbrante e intimista. Percebe-se rapidamente porque foi uma das escolhas da Brigitte Bardot para passar férias e a fama internacional que este lugar alcançou após isso.

O sítio onde ficamos foi escolhido a preceito e não podia ser mais maravilhoso. O nome? Esse diz tudo como se de desejos fosse feito: Abracadabra. E realmente mais parecia um sonho ao entrar ali.

Adoro cores pastel: branco, rosa, creme. Acho que principalmente nas casas dão-nos uma sensação de serenidade e paz. Em contexto de férias são cores que valorizo nas escolhas dos espaços que procuro e sem dúvida, este espaço tinha tudo isso e muito mais. Desde os quartos, a disposição no próprio espaço, a decoração e a comida… Sem palavras.

Basta espreitarem no link para perceberem como dá logo vontade de ir, voltar e ficar. Gostámos tanto que o difícil enquanto aqui estivemos foi querermos sair daquele espaço. Talvez por isso quando pensei em fazer um post só sobre Búzios não havia muito para escrever, pois estive quase sempre no mesmo sítio a deslumbrar-me com a beleza da pousada, das vistas, com os sabores e as bebidas. Teria ficado ali todos os dias da minha estadia no Brasil, acreditem.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para conhecermos melhor Búzios decidimos fazer um passeio de buggy por algumas praias (dado que eles tem mais de 20 para atender a todos os gostos!). O engraçado é que conhecendo todas podemos decidir onde queríamos ficar e fomos de ónibus para a praia de Geriba. Aqui comi um açai daqueles de rua mas que ali na praia, com granola e bem fresquinho soube tão bem!

Búzios tem um “centro de vila” cheio de lojas e restaurantes, a chamada Rua das Pedras mas também temos o Porto da Barra e a Olra Bardot que tem uma vasta gama de opções gastronómicas e onde a “refeição com vista” se torna o prato principal.

Aqui, para além do restaurante do hotel que era maravilhoso (Místico), sugiro o seguinte roteiro gastronómico:

ROCKA Fish – Comida saúdavel, fresca, ingredientes locais e orgânicos. Não se pode pedir melhor! A isto ainda se aliam boa música e um ambiente simples mas sofisticado. Como fica à beira mar pode-se degustar as caipirinhas e ostrascom uma bela vista.

BAR DO ZÉ_ Depois de uma viagem pelo Hawai, o dono deste restaurante tornou este ambiente característico com toalhas de mesa com motivos florais, cobertura de palha na varanda, luz de velas e cadeiras de madeira criam o ambiente intimista, mas disputado do Bar do Zé que, de frente para a Orla Bardot.

SALT – Muito à semelhança de todos os restaurantes na Orla Bardot, temos sempre um ambiente mesmo ao lado de uma vista previligiada e com um forte toque de glamour e frutos do mar. Sou suspeita mas com tanta oferta podemos comer bem todos os dias e com uma experiência gastronómica diferente. Aqui a arquitectura é típica de buzios num jeito rústico-chique e como a cozinha é contemporânea somos surpreendidos por influências francesas, italianas, espanholas, árabe e até portuguesas! Pratos apelativos de sabor e de olho, super bem servidos! Ceviche e pasta de frutos do mar recomendo para entrada e um bom vinho branco ou espumante a acompanhar.

BELLI BELLI – Aproveitando as lembranças de um bom vinho branco ou espumante, não poderia deixar de falar noeste restaurante que é um Gastrobar & Champanheria, rodeado pela Praia de Manguinhos. Aqui podemos aproveitar o por do sol enquanto nos deliciamos.

Para nos despedirmos deste belo sítio nada como ir às compras e comer mais umas tapiocas para recordação nos carrinhos de rua. Sim, ficamos mesmo sentadas ao lado do carrinho a degustar aquela iguaria. Ao jantar optamos por fazer um programa diferente e como aquele sítio merecia decidimos alugar um filme e pedir sushi e ceviche, com tudo o que tínhamos direito, ao serviço de quartos.

Quando me vim embora? Comprei tanta tapioca e água de coco que estava a ver que não consiga entrar em Angola com as malas! Mas consegui e não sobrou nadinha! 🙂

Assim fica muito mais fácil viajar!

Gostaste das minhas dicas? Vais aproveitar para viajar? Partilha os teus momentos e sugestões com #easytoliveblog. Segue o nosso Instagram ou Facebook,partilha com amigos e não percas pitada das novidades pois vão existir sempre muitas!

It’s easy to travel. Enjoy it! 🙂