Este ano o nosso Natal foi diference pois foi passado em Angola. Foi um Natal Tropical, cheio de calor mas com o mesmo sentimento de nostalgia.

A bom rigor era o primeiro ano que a nossa Kandengue ia abrir prendas, dado que o ano passado ela também já passou connosco mas enrolada em mim numa sequência de “mama,dorme,muda fralda” sem fim.

Neste post, e dado ser Natal, tenho algumas surpresas para vocês.

Em primeiro lugar irei partilhar o meu mix de farinhas sem glúten que tenho sempre à mão e super fácil de fazer. Este mix acaba por facilitar todas as receitas dado que pode ser substituído em proporção 1:1 na maior parte das receitas com farinha de trigo, o que simplifica.

Acredito que seja necessário, no entanto, variar estes mix de farinhas para que consigamos obter mais valor nutricional das várias farinhas existentes no mercado sem glúten. Seja como for, e para quem precisa de algo rapidamente, torna-se bastante cómodo ter esta mistura sempre à mão. Podem armazenar, num recipiente hermeticamente fechado e dura até 1 mês no frigorífico.

Mix de Farinhas sem glúten

  • 1/4 chávena de farinha de arroz branco
  • 1/4 chávena de polvilho doce
  • 1/2 chávena de fécula de batata
  • 1 1/2 – chávena de farinha de arroz integral

Como sabem esta é a época das Pitayas aqui em Angola e escusado será dizer que eu ADORO este fruto. A sua origem é Asiática mas é tão carregado de cor e de coisas boas que é impossível resistir-lhe. A minha paixão começou aqui mas foi na minha viagem a Bali que percebi a paixão com que usam esta fruta, praticamente em tudo.

Como estamos no final do ano e este será certamente o último post que farei, trago-vos não uma, nem duas mas três deliciosas receitas! E claro, com o fruto maravilha como ator pincipal.

Conhecida como fruta dragão, original dos países da América Central, existem 3 variedades distintas mas que apenas diferem em cor, dado que o seu valor nutricional se mantém em todas elas: amarela de polpa branca, rosa de polpa branca e rosa de polpa rosa. Aqui podemos encontrar nacionais de polpa rosa e as amarelas, importadas.

O seu sabor é doce mas suave e uma polpa que parece que se desfaz na boca. Nutritiva e fresca, sabe bem em saladas, sozinha, em smothies, com iogurtes e até em bolos. Por isso decidi aventurar-me e recriar o meu tronco de natal, apesar do formato ser tudo menos um tronco, mas desta vez usar as famosas pitayas para me ajudarem.

O resultado final ficou maravilhoso e a cor genial. Como tinha muitas pitayas aproveitei também para fazer rafaellos de pitaya e uma calda para colocar por cima do pudim de tapioca e côco.

A par do bolo rei e das rabanadas, ali estava a minha mesa cheia de sobremesas que chamavam o calor cá para dentro, com uma cor que dava vontade de dançar.

Claro que escolher a pitaya para as minhas invenções prendeu-se muito por esta cor vibrante e o sabor maravilhoso mas também pelas suas inúmeras vantagens nutricionais.

Porquê a Pitaya?

  • Sistema imunológico – Esta deve ser a principal vantagem deste alimento dado que concentra em si muita quantidade de vitamina C e antioxidantes. Para terem uma noção uma pitaya equivale a 35% da dose diária recomendada de vitamina C. Bora lá comer pitayas certo?
  • Sistema cardiovascular – As sementes da pitaya contêm em si propriedades que auxiliam no combate ao colesterol mau bem como gordura capaz de sintetizar o colesterol bom, HDL, equilibrando o mau no organismo.
  • Excelente fonte de fibras – Melhora substancialmente a saúde intestinal graças às sua polpa que induz os movimentos intestinais e estimulam a libertação de sucos gástricos. Estas fibras estabilizam também os níveis de açúcar no sangue.
  • Fonte de proteína vegetal
  • Propriedades “Anti” – Para mim melhor que muitos medicamentos, este fruto é um potente anti-inflamatório recomendado para pessoas com dores e inchaços nas articulações, decorrentes de artrites. Aliado a isto tem propriedades anti-bacterianas e anti-fungicidas provocando aumento de glóbulos brancos que são responsáveis por proteger o organismo contra toxinas.

Parece-me mais do que suficiente para experimentar ainda até ao final do ano esta maravilha, certo?

Assim sendo vou-vos apresentar o meu Bolo de Pitaya, Raffaellos e por fim o Pudim de Tapioca e Coco com calda de Pitaya. Ainda há tempo para a passagem de ano… Corram! Experimentem! Lambuzem-se! E depois digam como correu…! 🙂

Que seja um novo ano cheio de concretizações de sonhos e claro, bem cor-de-rosa!

Faz a receita e partilha as tuas sugestões com #easytoliveblog. Segue o nosso Instagram ou Facebook e não percas pitada das novidades.

Podes sempre partilhar com amigos as tuas ideias favoritas e seres surpreendido ou surpreender um dia destes! Aproveitem a inspiração.

Easy to make, easy to eat!:)

Imprimir Receita
Bolo de Pitaya
A textura deste bolo é surpreendente, bem como a cor e o sabor. A cobertura de abacate e chocolate faz lembrar uma mousse e torna o bolo a nível nutricional ainda mais rico.
Refeição Sobremesa
Cozinha Paleo, Vegan
Doses
Ingredientes
Massa Bolo
Cobertura
Refeição Sobremesa
Cozinha Paleo, Vegan
Doses
Ingredientes
Massa Bolo
Cobertura
Instruções de preparação
Cobertura
  1. Triturar o abacate juntamente com os restantes ingredientes até formar uma pasta homogénea. Reservar.
Massa
  1. Pré aquecer o forno nos 200º C.
  2. Juntar todos os ingredientes secos.
  3. Juntar todos os ingredientes líquidos aos secos, lentamente e mexendo bem para incorporar.
  4. Leve ao forno pré aquecido mas passe a temperatura para os 180ºC. Deixar entre 30 a 40 min, dependendo da força do forno. Fazer o teste do palito e ir vigiando. Depois do palito sair limpo, deixar arrefecer.
  5. Colocar a cobertura e decorar com fruta a gosto. Fruta é Pitaya, claro! 🙂
Recipe Notes

A mistura sem glúten que falo é uma caseira que tenho sempre à mão. Ver o meu post sobre o meu mix de farinha sem glúten.

Aqui as pitayas médias são enormes e eu usei um pouco mais de metade da polpa para esta receita.

Imprimir Receita
Raffaellos de Pitaya
Estes Raffaellos foram uma boa opção para quem quer um docinho mas algo que seja mais nutritivo e numa versão low sugar.
Doses
10 Unidades
Ingredientes
Doses
10 Unidades
Ingredientes
Instruções de preparação
  1. Juntar todos os ingredientes e fazer bolinhas.
  2. Levar ao frigorífico e deliciar-se!
Recipe Notes

Para os amantes de chocolate, podem cobrir as bolinhas com chocolate preto o que torna a experiência sensorial ainda melhor! 🙂

Imprimir Receita
Pudim de Tapioca e Côco
Este delicioso pudim foi a minha primeira experiência com tapioca granulada. O sabor é diferente mas gostoso e gomoso. A calda deu-lhe o toque final.
Refeição Sobremesa
Cozinha Paleo, Vegan
Tempo Preparação 10 min
Tempo Cozedura 5 min
Tempo passivo 15 min
Doses
Ingredientes
Refeição Sobremesa
Cozinha Paleo, Vegan
Tempo Preparação 10 min
Tempo Cozedura 5 min
Tempo passivo 15 min
Doses
Ingredientes
Instruções de preparação
  1. Ferver o leite vegetal com o leite de côco.
  2. Misturar à parte a tapioca com o açúcar ou xarope de tâmaras, o côco ralado e o sal.
  3. Quando o leite estiver a ferver, juntar os ingredientes secos e mexer lentamente.
  4. Colocar numa forma previamente untada com óleo de côco e côco ralado. Levar ao frigorífico durante 15 min.
  5. Quando desenformar, colocar a polpa da pitaya esmagada por cima e disfrutar.