Tive o meu primeiro contacto com a Tapioca  na minha viagem ao Brasil e confesso que fiquei reticente quando vi a primeira vez. A minha amiga sugeriu-me um pequeno almoço “típico” com uma farinha que colocava diretamente na frigideira, sem água nem azeite, nem nada. Duvidei mas assim que comi fiquei fã!!!

Durante o tempo que estive no Brasil não só comia em casa, ao pequeno almoço, como dificilmente saía à rua sem que não quisesse parar numa banquinha para comer aquela iguaria. Sim, não me cansava (nem hoje me canso!).

Trouxe a mala cheia de goma de tapioca e já fora de terras brasileiras, comia até não restar um grãozinho. Mas e depois?

Encontrar tapioca em qq lado parecia jogar no euromilhoes pois nunca estava disponível e esgotava em todo o lado à velocidade da luz. Como “alguém” disse que era saudável, já existia uma correria às bancas de tapioca para provar e comer até ficarmos “super saudáveis”! Até surgiram depois restaurantes só focados em tapioca ( perdi claramente uma oportunidade de negocio!) que sinceramente nunca provei.

OK, fantástico mas… E como é que eu faço e como tapioca se não há em lado nenhum goma de tapioca?!

Depois de muito pesquisar percebi que dava para fazer tapioca com polvilho doce ou azedo. Confesso que na primeira tentativa correu mal e não ficou grande coisa, para além de ter demorado muito mais tempo.

O objectivo era hidratar o polvilho e depois peneirar para poder usar a goma. Só que polvilho hidratado em demasia sofre da reacção  idêntica ao amido de milho, ficando um fluido não newtoniano… [A minha filha certamente no futuro irá adorar esta experiência, mas na realidade estava muito longe do que eu precisava!]

Umas tentativas mais e chegamos ao ponto (finalmente!)!

A tapioca, apesar de ser um hidrato de carbono e de funcionar a nível do organismo como tal, tem uma percentagem de gordura saturada baixo sendo uma rica fonte de fibra, proteínas, vitaminas do complexo B, ferro, cálcio e selénio.

Nesta receita juntei também uma coisa que adoro: guacamole. É tão fácil de fazer e fica sempre tão bem com quase tudo por isso como não usar?

O abacate, apesar de delicioso e de ter inúmeros benefícios já conhecidos é rico em gorduras “boas” e vitaminas, o que faz dele um super alimento para juntar a qualquer refeição. É bom para a pele, para o coração, para a gravidez, para o cabelo, para emagrecer, para o cérebro, para tudo! E eu adoro simplesmente abacate. Em pequena comia umas papas de abacate que brevemente irei partilhar com vocês… De chorar por mais.Guardava no frigorifico e comia lentamente para que durasse muito (o abacate era bem caro e raro na altura!).

Tal como a maioria das minhas receitas,o segredo está em perceber como funciona a base e depois dar asas à imaginação. Doces ou salgadas, doces e salgadas. A vontade é que faz a iguaria.

Aproveitem!! Easy,easy!

Faz a receita e partilha as tuas sugestões com #easytoliveblog. Segue o nosso Instagram ou Facebook e não percas pitada das novidades.

Podes sempre partilhar com amigos as tuas ideias favoritas e seres surpreendido ou surpreender um dia destes! Aproveitem a inspiração.

Easy to Make, Easy to Eat! 🙂 Food Magento Theme

 

Imprimir Receita
Tapioca "Guacamolesca"
Para quem gosta de abacate e tapioca, esta foi a melhor junção que já provei. Super saborosa e dá para um snack ou para uma refeição bem completa de sabor.
Tempo Preparação 10 min
Tempo Cozedura 5 min
Doses
1 porção
Ingredientes
Guacamole
Tempo Preparação 10 min
Tempo Cozedura 5 min
Doses
1 porção
Ingredientes
Guacamole
Instruções de preparação
Para não perder tempo
  1. Pode-se usar goma de tapioca ou hidratar polvilho doce. Para hidratar o polvilho coloca-lo numa tigela com as colheres de sopa de água. O aspecto deve ser de acordo com a imagem.
  2. Peneirar para a frigideira já em lume brando ou se preferir guardar, coloque num recicipente hermeticamente fechado que aguenta 3 a 4 dias no frigorifico até proxima utilização.
  3. Eu costumo pressionar a tapioca como se quisesse fazer um crepe e juntar todos os bocadinhos de tapioca, contudo não é um passo necessário. Devemos esperar que a tapioca começe a levantar nas extremidades da frigideira, aí é sinal de que está pronta.
Para terminar
  1. Podemos retirar logo para um prato e rechear ou rechear dentro da frigideira e dobrar ( como se vê na foto) para ajudar os sabores a misturarem-se. Nesta fotografia coloquei guacamole e por cima os ovos mexidos com a cebola caramelizada e as sementes.
  2. Após estar fechada podemos polvilhar com sementes a gosto e derretam-se com as diferentes texturas e sabores do prato
Recipe Notes

Nas primeiras vezes poderão preferir peneirar com a frigideira ainda fria e só depois aquecer. Não tem problema... com o tempo vão ganhando o jeito! Fica bom na mesma e é bem mais fácil peneirar para um recipiente e só depois  colocar na frigideira.